Início Noticias Tráfego do Twitter duplica e Facebook aumenta 30% na noite de eleição

Tráfego do Twitter duplica e Facebook aumenta 30% na noite de eleição

COMPARTILHAR

O uso de mídias sociais aumentou na noite das eleições nos Estados Unidos, mas no geral, o tráfego na Internet foi reduzido – provavelmente o resultado de pessoas se ajustando para assistir à cobertura eleitoral na televisão, em vez de online. Além disso, o Facebook registrou um aumento de quase 30% na noite de terça-feira, enquanto o tráfego no Twitter mais que dobrou, de acordo com os novos dados publicados pela empresa de rede de banda larga Sandvine nesta manhã, que acompanharam o impacto da eleição no uso da internet.

Enquanto isso, Netflix – que é tipicamente a maior fonte de tráfego na América do Norte – viu um enorme declínio. Os seus níveis de tráfego caíram 25% em relação ao dia anterior. No entanto, Sandvine acredita que esses níveis voltarão ao normal esta noite.

Os resultados são baseados em uma amostra de rede de acesso fixo dos EUA na Costa Leste que tem sido bastante representativa do tráfego nacional no passado, observa Sandvine. Mas estes números são ainda preliminares para o momento, e podem ser atualizados mais tarde no dia.

election-netflix

Também durante a noite de eleição, o tráfego total no pico de internet caiu cerca de 15%, enquanto as pessoas assistiam aos resultados, em vez de navegar na web, como de costume.

Esta figura também fala para o fato de que, quando se trata de seguir notícias de última hora em todo os EUA, muitos ainda estão se voltando para a televisão sobre as fontes de notícias da web.

election-total

Dito isto, mesmo quando a navegação na web está diminuída, as pessoas estavam usando suas “segundas telas”, como tablets e smartphones, para se envolver com as notícias que estavam assistindo. Os picos no uso de mídia social vieram de pessoas lendo e compartilhando seus pensamentos e sentimentos sobre a eleição em sites como Facebook e Twitter.

election-social

Essas métricas indicam o papel maior que as plataformas de mídia social têm na web de hoje: elas são cada vez mais os portais onde os usuários estão recebendo suas informações quando estão on-line. São lugares onde as notícias – falsas, virais, mascaradas como notícias – também se espalham.

De fato, quase metade dos adultos recebem notícias no Facebook, segundo um relatório divulgado no início deste ano.

Isso levou a questionar se essas redes têm ou não a responsabilidade de agir mais como organizações de mídia, em termos de reduzir a disseminação da desinformação. Dada a quantidade de notícias falsas que circularam no Facebook durante este ciclo eleitoral, é difícil ignorar o impacto que a decisão do Facebook sobre o assunto teve sobre a política americana.

 

COMPARTILHAR