Início Noticias Disqus quer ajudar a livrar a web de comentários desleais

Disqus quer ajudar a livrar a web de comentários desleais

COMPARTILHAR

Nos últimos anos, serviços de comentário têm mudado, mas um manteve uma presença consistente em alguns dos maiores sites do mundo: Disqus. Passou os últimos dez anos ajudando marcas e meios de comunicação a desenvolverem suas próprias comunidades, ao mesmo tempo que acumularam centenas de milhões de usuários próprios. O serviço é grande o suficiente para que suas ferramentas de comentário tenham sido implantadas em sites que hospedam conteúdo desagradável, que por sua vez, está associado. Disqus disse que não tem tolerância para o discurso de ódio, mas continua a acolher discussões em sites que promovem a toxicidade. Agora, diz, quer fazer mais sobre essa questão.

Em uma postagem, o Vice-Presidente de Pessoas e Cultura da Disqus, Kim Rohrer, explicou os passos que a empresa tomará. A primeira é a introdução de uma ferramenta de feedback que permite aos usuários destacar quando um site está violando seus Termos e Políticas. Comentadores individuais ainda podem ser sinalizados, mas se uma comunidade está exibindo linguagem tóxica, assédio e ódio como um todo, então Disqus vai decidir se devem ser autorizados a permanecer na sua plataforma.

Em última análise, porém, o ônus permanecerá em editores e moderadores. Alguns editores, incluindo sites políticos de como Breitbart, não têm interesse em moderar seus fóruns de discussão, mas para aqueles que querem promover a liberdade de expressão, mas eliminar assédios, Disqus diz que está desenvolvendo novas ferramentas para desencorajá-los. No futuro, os moderadores terão a capacidade de somar os usuários para o banimento, tornando seus comentários invisíveis para todos exceto essa pessoa.

Disqus acredita que pode automatizar alguns desses processos, marcando o conteúdo através da aprendizagem de máquina. Algoritmos podem detectar ocorrências repetidas de certas palavras e frases, ajudando editores, trazendo comentários tóxicos à sua atenção. Em um assentimento a incidentes recentes no YouTube, a empresa também permitirá que os anunciantes escolham onde seus recursos aparecem, para que eles não funcionem ao lado de discussões com as quais não desejam estar associados.

“Se uma publicação é dedicada ao discurso tóxico ou odioso, nenhuma solução de software ou produto ajudará a combater o discurso de ódio ou a toxicidade”, disse a Disqus em comunicado. “Nos casos em que um site é determinado a estar em violação deliberada dos nossos Termos de Serviço, vamos afirmar a nossa posição e impor a nossa política.”

Fonte: Disqus
Loading...
COMPARTILHAR