Início Mundo Dubai começa a testar táxis voadores sem tripulação de duas pessoas

Dubai começa a testar táxis voadores sem tripulação de duas pessoas

Dubai está testando grande drone de dois lugares projetado para transportar pessoas de forma autônoma. Chamado de Taxa Aérea Autônoma (AAT ou TAA), a cidade afirma que o veículo será o primeiro “serviço de táxi auto-voador” do mundo. O AAT é ambientalmente amigável, alimentado por eletricidade e a versão protótipo tem um tempo máximo de vôo de 30 minutos, a uma velocidade de cruzeiro de 50 km/h (31 mph) e uma velocidade máxima de 100 km/h (62 mph).

Leia também:

Mercedes-Benz gastará US$ 1 bilhão na construção de veículos elétricos nos EUA.

O drone pairava por 200 metros de altura durante o vôo de teste, de acordo com a Reuters. O AAT, com cerca de dois metros de altura, foi fornecido pelo fabricante especialista alemão Volocopter, conhecido por seu helicóptero homônimo de drone híbrido com 18 hélices. O AAT é equipado com pára-quedas de emergência opcional e nove sistemas de bateria independentes. Cada bateria leva duas horas para carregar completamente, mas esse tempo de carregamento será “significativamente reduzido” na versão de produção final do táxi, segundo o Governo do Dubai.

Há também planos para disponibilizar o AAT ao público através de um aplicativo de smartphone que permita aos usuários reservar voos e rastrear rotas. O Governo de Dubai diz que, nos próximos cinco anos, a Autoridade de Estradas e Transportes da cidade (RTA) trabalhará com as autoridades de aviação do país e da cidade para desenvolver políticas e leis para a AAT e seus serviços. As operações de avaliação terão lugar durante esse período, e a empresa norte-americana JDA Aviation supervisionará os preparativos para os vôos da AAT e gerenciará a segurança.

A cidade tem como alvo o transporte autônomo para representar uma quarta parte das viagens totais até 2030. “Incentivar a inovação e adotar as últimas tecnologias contribuem não só para o desenvolvimento do país, mas também para construir pontes no futuro”, disse o Príncipe da Coroa do Dubai, Sheikh Hamdan bin Mohammed em um comunicado.

Via