Início Noticias Elon Musk é forçado a renunciar presidência da Tesla

Elon Musk é forçado a renunciar presidência da Tesla

Elon Musk chegou a um acordo com a Securities and Exchange Commission sobre as acusações sobre sua tentativa de tornar a Tesla privada. Musk terá que renunciar ao cargo de presidente da Tesla dentro de 45 dias, e não será capaz de assumir novamente o papel na empresa por três anos. Ele poderá permanecer como CEO da Tesla durante esse período.

A SEC abriu uma investigação sobre Musk e Tesla no início de agosto, pouco depois de o CEO anunciar abruptamente no Twitter que estava considerando a privatização da empresa. “Estou a considerar tornar a Tesla privada a 420 dólares. Financiamento assegurado”

Juntamente com o acordo, a SEC também acusou a Tesla de “não ter exigido controles e procedimentos de divulgação relacionados aos tweets de Musk”, segundo a agência. A Tesla já concordou em resolver essa acusação. Tanto Elon Musk quanto a empresa pagarão multas separadas de US $ 20 milhões que serão “distribuídas aos investidores prejudicados segundo um processo aprovado pelo tribunal”, segundo a SEC, e a Tesla está destinada a nomear dois novos conselheiros independentes para seu conselho. A empresa também contratará um advogado para monitorar as comunicações de Musk, incluindo seus tweets, de acordo com a decisão.

“O conjunto de soluções anunciado hoje [sábado] é especificamente projectado para corrigir a má conduta em relação ao fortalecimento da gestão e supervisão da Tesla, de forma a garantir a protecção dos investidores”, explica Stephanie Avakian, co-directora da Divisão de Fiscalização da SEC

“A decisão pretende evitar mais perturbações no mercado que prejudiquem os accionistas da Tesla”, acrescenta o também co-director da SEC, Steven Peikin.

“Quando ele fez aquelas afirmações, Elon Musk sabia que nunca tinha discutido, com nenhuma fonte potencial de financiamento, uma operação de recompra de acções a 420 dólares para retirar a empresa da bolsa, sabia que não tinha estudado se seria possível para todos os investidores continuarem ligados à empresa quando esta saísse da bolsa através de um ‘fundo especial'”, argumentou a SEC na queixa que apresentou num tribunal judicial de Nova Iorque, na passada quinta-feira.

A primeira audiência no caso da SEC contra Musk foi marcada para fevereiro. O Departamento de Justiça supostamente ainda tem uma investigação aberta sobre sua fracassada tentativa de privatização, e vários acionistas processaram Elon Musk no tribunal por perdas resultantes da suposta manipulação do mercado.