NASA descobriu um exoplaneta parecido com a Terra, o K2-141b

K2-141b

A NASA descobriu um exoplaneta parecido com a Terra, mas há um pequeno problema. Chove lava lá. Em um comunicado de imprensa da organização e da McGill, o planeta conhecido como K2-141b foi apresentado ao mundo.

 É um corpo do tamanho da Terra com um oceano e uma atmosfera composta de rochas. Como resultado, existem padrões climáticos extremos que dominam o clima de K2-141b. Chover lava vai ser um problema para muitas formas de vida (Mas talvez não a vida seja muito diferente da nossa!).

Usando telescópios como o Telescópio Espacial James Webb, pesquisadores descobriram o corpo e investigaram o que poderia causar um clima tão extremo. As descobertas são impressionantes, pois a temperatura varia de lava quente a abaixo de -200 graus Celsius. Isso é muito selvagem. Então, nossas soluções para encontrar outra vida vão esperar por outro dia.

O estudo foi publicado no Monthly Notices da Royal Astronomical Society. Um dos co-autores, Nicolas Cowan falou com a CBS News sobre as descobertas. 

Nossa descoberta provavelmente significa que a atmosfera se estende um pouco além da costa do oceano de magma, tornando mais fácil de detectar com telescópios espaciais“, disse ele.

nasa-lava-exoplanet.jpg
(Foto: JULIE ROUSSY, MCGILL GRAPHIC DESIGN E GETTY IMAGES)

 

O estudo é o primeiro a fazer previsões sobre as condições climáticas em K2-141b que podem ser detectadas a centenas de anos-luz de distância com telescópios de próxima geração, como o Telescópio Espacial James Webb”, acrescentou o autor principal e estudante de doutorado da Universidade de York, Giang Nguyen. Ela trabalhou sob a supervisão do professor Cowan.

Todos os planetas rochosos, incluindo a Terra, começaram como mundos fundidos, mas depois esfriaram e solidificaram rapidamente. Os planetas de lava nos dão um raro vislumbre deste estágio da evolução planetária“, acrescentou o professor Cowan.

Acontece que diferentes tipos de rocha têm espectros diferentes“, mencionou Laura Kreidberg, do Instituto Max Planck de Astronomia. “Você pode ver com seus olhos que o granito é mais claro que o basalto. Existem diferenças semelhantes na luz infravermelha que as rochas emitem.

Isso poderia explicar por que a parte mais quente do planeta é deslocada“, continuou Alexis Brandeker, pesquisador da Universidade de Estocolmo que também estuda o planeta com outra equipe. “Assim como na Terra, levaria tempo para a superfície aquecer. A hora mais quente do dia seria à tarde, não ao meio-dia.

Você visitaria um planeta assim? 

Via: Comicbook

Artigo anteriorSony lança trio de alto-falantes sem fio da série X
Próximo artigoRemake de Prince of Persia: The Sands of Time é adiado mais uma vez
Joice Zacarias
Editora no Coluna Tech é formado em Edificações, Interessada em tecnologia, Principalmente em games e gadgets.