Início Destaques Windows 7 em 2017 é tão desatualizado que patches não podem mantê-lo...

Windows 7 em 2017 é tão desatualizado que patches não podem mantê-lo seguro

COMPARTILHAR

A Microsoft iniciou sua contagem regressiva de três anos para o fim do suporte estendido do Windows 7, alertando as empresas que pagarão caro por manter a segurança desatualizada da plataforma em comparação com o Windows 10.

As empresas podem, naturalmente, atrasar a atualização até 13 de janeiro de 2020, quando o suporte estendido termina para o sistema operacional 2009 e ele não recebe mais patches, a menos que o cliente esteja pagando por um contrato de suporte personalizado da Microsoft.

No entanto, como a Microsoft alertou, o Windows 7, que se mudou para suporte estendido em 2015, está desatualizado e aumentará os custos operacionais de remediar ataques de malware que não penetrarão nos sistemas Windows 10.

Windows 7 “não atende aos requisitos da tecnologia moderna, nem aos altos requisitos de segurança dos departamentos de TI”, disse Markus Nitschke, diretor do Windows na Microsoft Alemanha.

“Já no Windows XP, vimos que as empresas deveriam tomar medidas precoces para evitar riscos ou custos futuros”, acrescentou.

A mensagem veio quando a Microsoft publicou pesquisas mostrando que a segurança embutida do Windows 10 Anniversary Update poderia neutralizar duas explorações de dia zero recentes, mesmo sem os patches necessários para proteger versões anteriores do Windows.

Os modernos recursos de segurança do Windows 10 apresentados pela Microsoft incluem login biométrico do Windows hello, tecnologia de sandboxing do AppContainer e proteção avançada contra ameaças do Windows Defender, que ganharão novos recursos na próxima atualização dos criadores.

Adicionando à pressão para atualizar, as organizações empresariais no Windows 7 em breve não terão a proteção zero-dia adicional oferecido pela EMET ou o Enhanced Mitigation Experience Toolkit desde 2009. Microsoft em novembro prorrogou a EMET final da vida de janeiro de 2017 a 31 de julho, 2018.

Embora as novas ferramentas tornem o Windows 7 menos difícil para os clientes corporativos migrarem do que o XP, a Microsoft ainda pede aos clientes corporativos que comecem a transição três anos depois do fim do Windows 7, enfatizando que eles enfrentam “enormes perigos” se não o fizerem.

Via: Zdnet

Loading...