Início Auto Chrysler e Cummins são as últimas empresas acusadas de emitir fraudes

Chrysler e Cummins são as últimas empresas acusadas de emitir fraudes

COMPARTILHAR

O escândalo envolvendo a Volkswagen aumentou o escrutínio das montadoras, levando a acusações de que a VW não era a única empresa a enganar os testes de emissões.
A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e a fornecedora de motores Cummins estão sendo processadas por supostas tentativas de esconder o excesso de emissões nos veículos pesados Dodge e Ram, de acordo com a Bloomberg. Os demandantes no processo de ação coletiva estão sendo representados pelo escritório de advocacia de Seattle Hagens Berman Sobol Shapiro, que estava envolvido com a liquidação do Volkswagen 2.0 litros à diesel, e também entrou com uma ação contra a General Motors alegando, que a fabricante de automóveis instalou softwares com “dispositivos defeituosos” Em modelos Chevrolet Cruze Diesel.

O processo, que inclui 500 mil proprietários, alega que a Chrysler e a Cummins ocultaram as verdadeiras emissões de óxido de nitrogênio de certos veículos produzidos entre 2007 e 2012. Os poluentes deveriam ser capturados e divididos em um processo chamado regeneração nos caminhões NOx Absorção Catalyst (NAC), um sistema de controle de emissões que desde então foi substituído por Redução Catalítica Seletiva (SCR).

A ação afirma que os veículos afetados realmente deixam uma quantidade significativa de  gases poluentes escapar, por vezes, quase duplicação de emissões, aumentando o consumo de combustível em até 4 por cento, e desgaste de conversores catalíticos. Todos os veículos discutidos no processo foram construídos antes da Chrysler ter se fundido com a Fiat para criar FCA, e antes que a empresa ter começado a usar o mais moderno sistema SCR para reduzir as emissões. SCR utiliza líquido ureia para remover as emissões nocivas do escape, e é usado na maioria dos veículos a diesel atualmente vendidos nos EUA.

Em comunicado, a FCA disse que está analisando a denuncia, mas não acredita que seja meritório. A montadora disse que ” contaria vigorosamente”. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos e Agência de Proteção Ambiental (EPA) não tomaram nenhuma ação contra FCA ou Cummins sobre as alegadas violações, observou a Bloomberg.
A motivação das empresas para violar as normas de emissões remonta a uma mudança de nas regras de emissões de 2001, de acordo com o processo. A EPA estabeleceu padrões mais rígidos para 2010, mas a Chrysler e a Cummins decidiram tentar atendê-los até 2007. Quando eles não conseguiram fazer isso, as duas empresas conspiraram para “fabricar” motores a diesel para parecerem produzir emissões mais baixas.

Loading...
COMPARTILHAR