Início Destaques Google baniu 200 editores, desde que aprovou uma nova política contra falsas...

Google baniu 200 editores, desde que aprovou uma nova política contra falsas notícias

COMPARTILHAR

A Google derrubou 200 editores de uma de suas redes de anúncios no quarto trimestre, em parte em resposta à proliferação de sites falsos de notícias.

A empresa proibiu os editores de sua rede AdSense, um serviço de veiculação de anúncios que exibe automaticamente anúncios de texto e de exibição em sites participantes com base em sua audiência. A proibição era parte de uma atualização de uma política existente que proíbe sites que enganam os usuários com seu conteúdo.

O Google regularmente elimina os anunciantes por reivindicações falsas ou enganosas, mas os sites de notícias se tornaram uma adição após a rápida ascensão de notícias falsas ou sites de propaganda. Após a eleição, o Google foi criticado por colocar uma história falsa de um site de notícias falsas alegando que Donald Trump havia ganhado o voto popular. (Ele tinha 2,8 milhões menos de votos do que Hillary Clinton.)

Nem todos os 200 editores foram varridos como parte do esforço para erradicar sites falsos de notícias.

Os editores proibidos em novembro e dezembro incluíam sites que representam organizações de notícias reais através de domínios de primeiro nível encurtados, de acordo com o relatório de anúncios ruins de 2016 do Google, normalmente lançado no início de cada ano.

Os chamados falsos editores de notícias às vezes aproveitam os domínios “.co” aparecendo como sites de notícias legítimos que normalmente terminam em “.com”.

O Google se recusou a fornecer uma lista dos sites proibidos.

Separadamente, o relatório anual sobre violações da política de publicidade também incluiu dados sobre anúncios removidos pela Google. A empresa informou que em 2016 ela levou 1,7 bilhões de anúncios por violações, em comparação com 780 milhões em 2015.

A Google atribui o aumento das remoções de anúncios a uma combinação de comportamento do anunciante e melhorias na tecnologia para detectar anúncios ofensivos.

A Google adicionou uma política no meio do ano para proibir anúncios de empréstimos para dia de pagamento, considerados predatórios. Cerca de cinco milhões de anúncios de empréstimo do dia de pagamento foram desativados nos últimos seis meses de 2016.

Esses anunciantes executam o que parecem links para manchetes de notícias, mas quando o usuário clica, um anúncio para um produto, como um suplemento para perda de peso, aparece. O Google suspendeu 1.300 contas envolvidas em camuflagem de tabloides em 2016.

Via: Recode

Loading...
COMPARTILHAR